Colágeno

A procura pela substância que promete retardar o envelhecimento, melhorar a pele, cabelos, e até mesmo as articulações, tem sido cada vez maior. O colágeno hidrolisado tem provado seus benefícios e conquistado adeptos.

Mas para isso, o colágeno precisa passar pelo processo de hidrólise (quebra pela água das moléculas de proteína) para que possa ser absorvido facilmente pelo organismo. E mais do que isso, é necessário acertar na dose: a maioria dos especialistas recomenda uma dose de 8 a 10 gramas de colágeno por dia.

O colágeno ainda pode auxiliar na perda de peso, já que o colágeno em pó preenche o estômago rapidamente, prolongando a sensação de saciedade. Juntamente a isso, ele diminui o risco de ficar com o tecido flácido!

Ele também é aliado das articulações. Em 2006, durante o encontro do American College of Sports Medicine, em Indianápolis, nos Estados Unidos, a apresentação de um estudo alemão com 100 atletas, de 15 a 80 anos, mostrou que o consumo de colágeno hidrolisado traz uma melhora importante nas articulações, ajudando significativamente na mobilidade dos joelhos e dos quadris.

No mercado é possível encontrar dois tipos de colágeno hidrolisado, o tipo 1, que atua na saúde dos tecidos da pele, unhas e cabelo e o tipo 2 que é essencial para quem deseja manter as articulações saudáveis e, principalmente, para quem pratica esportes e atividades físicas. O colágeno pode ser adquirido sem necessidade de receita médica.

A medicina tem feito grandes avanços na compreensão da biologia e da cicatrização do tecido cartilaginoso. Junto a isso, vem surgindo um grande arsenal terapêutico, envolvendo desde a fisioterapia e fortalecimento muscular, infiltrações e procedimentos cirúrgicos para o tratamento das lesões cartilaginosas e da artrose do joelho.

A suplementação alimentar com medicamentos tem a função de auxiliar na regeneração cartilaginosa e é algo recente no mercado farmacêutico. Tratam-se de produtos com poucas contraindicações e efeitos colaterais e, portanto, tem alcançado um grande público.

O colágeno hidrolisado, assim como sulfatos de glucosamina e condroitina, utilizados separadamente ou em conjunto, estão entre os suplementos mais populares. Eles são amino-açúcares produzidos naturalmente no corpo, e a sua produção diminui com o envelhecimento (quando as pessoas mais precisam). Sua suplementação desempenharia um papel importante na formação, manutenção e reparação de cartilagem e outros tecidos do corpo.

A revista American Family Physician publicou recentemente um artigo sobre o uso de suplementos alimentares na osteoartrite. E os resultados, ao basear-se em estudos de seguimento a longo prazo, mostraram uma redução modesta de sintomas da osteoartrite, possivelmente, retardando a progressão da doença. Porém as evidencias cientificas ainda são recentes e o tema tem sido alvo de inúmeras pesquisas.

A maioria dos nutrientes que consumimos são obtidos dos alimentos presentes em nosso dia-a-dia. Porém, em casos de deficiência, podem ser necessárias suplementações nutricionais, quando essas substâncias são obtidas em maior concentração através de produtos encontrados no mercado. Mas você sabe como eles são produzidos?