O alongamento é uma parte importante de qualquer treino ou exercício por ter um papel na prevenção de lesões ao promover a melhora na flexibilidade dos músculos.

Apesar da controvérsia que existe sobre o alongamento afetar ou não o desempenho dos músculos quando feito antes dos exercícios, existem formas de mitigar esse risco ao tomar alguns cuidados:

 – Praticar alongamentos estáticos curtos, de períodos inferiores a 45 segundos;

 – Alongar através de aquecimento, como trotes antes de corridas e piques curtos para finalizar o alongamento;

 – Fazer movimentos que explorem a amplitude articular.

Especialistas não recomendam a prática do alongamento imediatamente após treinos mais intensos, pois microtraumas acometidos podem ser agravados.

Na prática de exercícios nas ruas, muitos elementos presentes no próprio percurso podem ser usados como equipamentos que auxiliam no alongamento, como degraus, bancos, paredes, entre outros.

O alongamento é indispensável, não só pelos seus benefícios imediatos, mas também devido aos efeitos de médio e longo prazo. Ele previne o encurtamento de grupos musculares, evita cãibras, melhora a postura corporal, reduz a compressão das fibras musculares e das articulações.

O colágeno é uma importante proteína que tem sua produção feita pelo próprio organismo, mas que diminui com o passar do tempo.  Dentre suas principais características, encontra-se prover firmeza e elasticidade à pele, músculos, tendões e cartilagens do corpo.

A falta de colágeno pode causar maior desgaste de articulações e flacidez da pele, sintomas esses que se acentuam a partir dos 30 anos de idade. Uma forma de evitar isso é fazendo a ingestão de alimentos ricos nessa proteína, como carnes e gelatinas, assim como de suplementos nutricionais e vitamínicos que têm aminoácidos que estimulam a produção do colágeno.

Outras medidas de prevenção ao envelhecimento precoce são a alimentação saudável e a prática de exercícios físicos, assim como evitar o stress e se proteger do sol.

A natação é considerada um dos esportes mais completos e seguros. Ela proporciona desde a perda calórica e equilíbrio muscular, até o auxílio na recuperação de lesões. A modalidade é indicada para pessoas de todas as idades e biótipos. Veja as principais vantagens:

Não tem impacto, portanto não afeta as articulações.

Relaxa o corpo e a mente.

Promove o relaxamento dos músculos e ajuda a aliviar a tensão muscular.

Melhora a postura já que aumenta a flexibilidade da coluna e remove a dor.

Promove maior perda calórica por conta da resistência da água e ajuda a emagrecer.

Melhora o condicionamento físico já que trabalha músculos e movimentos de forma ampla.

Melhora a circulação sanguínea.

Oferece baixo risco de lesões por conta da resistência da água.

Ajuda na recuperação de lesões e na reabilitação.

Trabalha a respiração de maneira correta e faz bem para a saúde dos pulmões.

A atividade física na terceira idade tem sido considerada um importante elemento para um estilo de vida saudável, já que associa diversos benefícios para saúde física e mental, além de colaborar para o equilíbrio, flexibilidade, coordenação e força. Em longo prazo, a prática de exercícios físicos regularmente na terceira idade diminui a perda muscular e óssea, diminui a gordura corporal e por consequência, retarda o envelhecimento e eleva a expectativa de vida.

Os exercícios devem obedecer às limitações do corpo, por isso, os mais indicados para essa fase da vida são aqueles que apresentam menos riscos de lesões, impactos e menos intensidade como pilates, hidroginástica, dança, caminhada, entre outros. Na terceira idade, é de grande importância o acompanhamento médico, que orientará na escolha do exercício certo e seguro para cada indivíduo.

Veja algumas dicas para a prática de exercícios na terceira idade:

  • Deve ser escolhido um exercício que mais ofereça prazer e satisfação;
  • Antes de iniciar a prática do exercício é indispensável a avaliação física e consulta medica para check-up;
  • Durante a prática de exercícios, procure o auxílio e acompanhamento de instrutor ou profissional especializado;
  • Use roupas e sapatos adequados;
  • Alongue-se sempre: o alongamento ajuda a prevenir lesões, ampliar a flexibilidade, além de trazer sensação de bem-estar;
  • É de grande importância que exista um acompanhamento com relação à alimentação;
  • Hidrate-se sempre!

A falta de tempo no dia-a-dia, a rotina corrida das mamães e a atenção que elas dispensam aos seus bebês a todo o tempo muitas vezes são os principais motivos pelos quais elas diminuem ou até mesmo param de fazer atividades físicas.

Porém, existem algumas formas com as quais elas podem conciliar o tempo com seus bebês às atividades físicas. Algumas formas de fazê-lo, após a liberação de suas obstetras, são:

ILUSTRAR COM IMAGEM

  • Passeios com o bebê no carrinho em diferentes intensidades. Além da prática da atividade física, é um tempo ao ar livre que permite o relaxamento e alívio de stress.
  • Elevação frontal. De pé, segurando o bebê de frente ao seu rosto, pelas axilas com ambas as mãos, elevá-lo suavemente acima da cabeça.
  • Ponte. Deitada, de barriga para cima, colocando o bebê sentado sobre seu abdome. Elevar o quadril segurando-o pelo tronco, controlando o movimento.

É valido lembrar-se de alongar sempre antes de qualquer exercícios.